fbpx

____4.6.7 Elaboração do Projecto

4.6.7 ELABORAÇÃO DO PROJECTO

O projecto deverá, sem prejuízo do disposto no ponto 4.7, ser constituído do seguinte:

• Fichas Técnicas;

• Memória descritiva;

• Planta topográfica de localização do edifício;

• Plantas de cada um dos pisos que constituem o edifício, com o traçado das redes e localização das

tomadas de cliente, tomando em consideração o local de instalação dos equipamentos terminais;

• Desenho, nessas mesmas plantas, da localização das entradas de cabos, dos ATE, dos ATI, da

PAT, das caixas de passagem, de derivação, de saída e do respectivo traçado de interligação;

• Inscrição nos esquemas das capacidades dos dispositivos e dos cabos, da dimensão da tubagem e

do tipo das caixas. Em locais com riscos especiais, nas plantas e em cada uma das divisões com

dispositivos, deverá ser inscrito o tipo de ambiente a que a respectiva divisão está sujeita;

• Esquema da rede de tubagens;

• Esquemas das redes de cabos;

• Quadro de dimensionamento para os cabos de pares de cobre;

• Quadro de dimensionamento para os cabos coaxiais;

• Quadro de dimensionamento para os cabos de fibras ópticas (quando existam);

• Fichas dos repartidores gerais;

• Fichas para as caixas de derivação e fichas de encaminhamento para os cabos de pares de cobre;

• Fichas para as caixas de derivação e fichas de encaminhamento para os cabos coaxiais e fibras

ópticas;

• Cálculo dos níveis de sinal nas redes de cabo coaxial;

• Esquema da instalação eléctrica das ITED;

• Indicação dos materiais, marcas, modelos e tipos, a instalar nas ITED;

• Termo de responsabilidade.


A escala mínima das plantas para a elaboração dos desenhos deverá ser de 1:100 e as mesmas serão

eventualmente ampliadas, sempre que se justifique, pela sua complexidade ou legibilidade.

No esquema da rede de tubagens é necessário representar a caixa de entrada de cabos bem como todas

as entradas consideradas, respectivo dimensionamento e símbolos.

Para a rede de cabos de pares de cobre são registadas, na ficha do RG-PC ou do RG-PC+, as

correspondências de numeração dos pares que ali terminam, com indicação das fracções autónomas onde

se localizam os respectivos dispositivos terminais.

Para as redes de cabos coaxiais ou de fibras ópticas, deverão ser indicadas nos esquemas e no respectivo

quadro de dimensionamento, as fracções autónomas onde se localizam os dispositivos terminais e os níveis

de sinal à saída dos repartidores gerais respectivos e na chegada à fracção autónoma. Deverão ser

indicados os materiais a aplicar.

Os esquemas deverão ainda conter as antenas para os sistemas de recepção do tipo A, B e FWA, bem

como os respectivos suportes, mastros ou torres, como parte integrante das ITED. Deverá ser indicada a

localização das antenas e os cálculos que levaram à escolha, não só de um determinado tipo de antena,

mas de todos os equipamentos associados, nomeadamente de amplificação, multiplexagem e distribuição.

De notar que esta situação só será algumas vezes possível com um conhecimento real das condições de

propagação na zona de implantação do edifício, pelo que poderá ser remetida para a fase de instalação.

Quando o projecto definir a ligação de postos principais com comutação automática (PPCA), devem ser

apresentados juntamente com a documentação definida, os esquemas de ligação deste às tomadas.

Se o projectista considerar conveniente, poderão ser preparados outros documentos complementares.


Recommended Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *